Big Brother And The Holding Company - Cheap Thrills [1968]


Big Brother And The Holding Company - Cheap Thrills [1968]

Banda: Americana
Produtor: John Simon
Formação da Banda: Janis Joplin - Sam Andrew - James Gurley - Peter Albin - Chuck Jones
Posição na Billboard:

60’s Hotel: Cheap Thrills deveria se chamar Expensive Thrills, tamanha sua preciosidade. O último disco de Janis Joplin com a Holding Company é espetacular, da primeira à última faixa. Os gritos, uivos e tudo o mais proporcionado por Janis é de arrepiar em faixas como Turtle Blues e Ball And Chain.
O hit supremo Piece Of My Heart nem precisava ser citado, já que é obrigatório em qualquer coletânea sobre as grandes músicas de todos os tempos. A simbiose de Joplin e banda, a esta altura infelizmente não era mais a melhor possível, ao contrário do que se apresenta no disco. Em dezembro de 68 a cantora já deixaria o grupo para um vôo solo que, embora a consolidasse no topo, talvez nunca mais alcançasse o vigor e a agressividade deste álbum, lançado em agosto do mesmo ano.

A capa, desenhada pelo mito Robert Crumb, é um espetáculo à parte e retrata o potencial da banda em desafiar a grande obra da pop art da época, ainda o Sgt. Peppers. E foi uma exigência de Joplin para a capa. Joplin era grande fã de Robert Crumb e quadrinhos undergrounds da época.

Ainda flutuando no boom de sua apresentação do Monterrey Pop Festival e com a qualidade da banda, que fez uma das maiores releituras da história do rock em Summertime, sucesso de todos os tempos do JAZZ, não seria impossível tornarem-se um dos maiores grupos do fim dos anos 60. Mas não há nada verdadeiro e concreto nos anos 60. O que há de concreto é Cheap Thrills, o magnífico álbum da voz mais emocionalmente desesperada da era de ouro do rock.


_-_

3 comentários:

  1. Este está na lista de compras, mais pela arte do que pelo conteúdo - apesar de que aprecio Janis, principalmente em baladas. Saudação de Alvaro Az do blog http://amizadevinil.blogspot.com.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho a mesma opnião, a capa do Crumb é animal, tenho esse Vinil, mas o som não fica atrás a banda é fantástica!! Valeu Alvaro.

      Excluir
  2. Caramba, fiquei surpreso ao ver novamente a capa deste disco, após muitos e muitos anos. Eu tinha quatorze ou quinze anos quando nos reuníamos na casa de um amigo, cujo irmão tinha essa preciosidade e de vez em quando o liberava pra gente curtir. Postagem excelente. Parabéns!

    ResponderExcluir